Das antigas: Fanzine Submundo Mamão

Remexendo nas minhas coisas antigas, tive a surpresa de encontrar 3 pérolas da época que o Submundo mamão era apenas um projeto de fanzine!

Na verdade, apenas uma delas vingou. As outras ficaram encostadas como a maioria das coisas que fazia na época.
Esse logo aqui embaixo era usado na minha coluna no fanzine onde eu falava de música, livros, filmes de ficção científica e de terror (eu me amarrava neles!) e principalmente quadrinhos.
Eram as novidades do Submundo! Do underground.

SubNews é uma marca que uso até hoje. Agora virou um espaço onde eu posso publicar minhas Hqs, mas está meio parado ultimamente, pois o WordPress gratuito não funciona muito para aquilo que eu quero.
Queria algo nos moldes que o Quarto Mundo utiliza, porém para isso, precisa se desembolsar uma grana.
.
O personagem antropomorfo que utilizo nesse logo era um cão skatista que também fazia às vezes nas estampas das camisas que eu fazia quando tinha a minha “micro-empresa” de silk-screen, a Shiloh Blue.
Cara, eu tinha uns 16 a 17 anos, andava de skate e trampava de desenhista e arte-finalista para uma estamparia em São José do Rio Preto, a Underworld, que era uma linha desenvolvida pra galera do skate. Quando eu fiz uns 19 anos e me mudei pra Valinhos, abri meu próprio negócio de venda de camisas com meu irmão e conheci uma galera que também curtia skate, um hardcore e os meus desenhos! O que ajudou nas vendas!
Depois mais tarde, trampando num lugar mais promissor, encontrei uma galera que queria fazer um fanzine sobre as coisas da cidade.
E me incubiram de batizar o fanzine, vai vendo…

.

Eu tinha vontade de voltar a utilizar o nome Underworld em algo, porém já tinha o nome rolando em outra marca e a idéia original também não era minha, então desencanei disso. Aí pensei em algo como underground, em minúscula, já que era “hype” ser ou falar sobre a cena underground das ruas, mas aí pintou o lance da galera querer algo em português.
Foi aí que pensei em Submundo. Mas só Submundo?
Porra, Vini, só Submundo, só isso? – me pressionaram meus colegas fanzineiros.
– “Tá legal! Tá legal! Vai ser Submundo Mamão então!”

.

É… ninguém entendeu o significado, e ninguém entende até hoje.
“Qualé a do mamão?” – alguns já me perguntaram.
Não é nenhuma lhes respondo! E por que tinha que ser? Por que não aceitaram só a merda da palavra Submundo e ponto, catso!?
Tenho uma péssima mania de falar merda enquanto faço uma cara séria inabalável, e nesse caso, não me questionaram muito a razão de ter um nome assim tão tosco e estranho.

.

Por fim, acho que gostaram. E pra falar a verdade, até eu mesmo curti, senão não estaria usando ele até hoje.
Mas sei que é estranho.
Dito isso, talvez eu tenha perdido a mística por trás do nome, mas whatever, isso não tem mística porra nenhuma…

Acima, temos uma das capas do fanzine, “recuperada” no scanner e com ajuda do Photoshop, já que a original já estava toda amassada, rasgada e amarelada…
Ela seria a Submundo n° 1, depois que o fanzine em conjunto não foi muito longe. Disse seria, pois se eu tivesse terminado esse monte de promessa que fiz na capa, teria certamente publicado, hehehehe.
A Família Scracho hoje não passa de três folhas de uma HQ não terminada.
Mr. Whalebone é apenas um desenho de um Homem-Peixe gordo e com cara de perdedor.
A única coisa que eu tinha em mãos eram umas histórias sobre um personagem chamado Micheca, que era baseado num colega de escola, quando eu nem estava no colegial ainda. Eu já tinha essas Hqs feitas há muito tempo, mas também umas eram cópias descaradas de coisas feitas pelo Fernando Gonzales e tive receio de publicar, mesmo sendo um fanzine.
Ela foram feitas mesmo só pra tirar uma onda.
Mas foi da maneira que aprendi a fazer HQs. Então tá valendo.

Uma das coisas legais dessa época que posso destacar hoje, estão lá no começo desse blog. Eu revivi algumas coisas aqui que foram publicadas como, por exemplo:
As aventuranças de Cotoco;
Primeiros passos de um filósofo bêbado;
– e o inigualável Mongo do Pântano Amarelo.

Outra HQ não-terminada, que chegou a ter chamadas no fanzine, foi a da banda de hardcore “The Bug Putrid in My Cofee” (é, eu tenho problemas para dar nomes pras coisas, reconheço!).
Ela foi o embrião da banda dos Sarnentos. The Scabies, lembra?
O Hell Duck, não aparece nessa HQ mas ele faz parte da banda.

Vou tentar retomar essas Hqs antigas. Eram histórias curtas e legais. Não acho que vai levar muito tempo pra fazer.

É. Esse foi o Submundo Mamão: Origens. =)
Pensa que só o Wolvie pode ter uma?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s